terça-feira, 28 de julho de 2009

26/07/2009, das 9:00h ás 13:37h ...


... são, respectivamente, a data e a hora exactas em que este Arquitecto Engenheiro Paisagista Florestal se tornou duas coisinhas mais: pintor de horas vagas de exteriores interiorizados (ou de interiores exteriorizados? nem sei nem me importa) e, principalmente, amigo dos "amigos de Vilas Boas".

A saber.

O meu amigo, primo e Pintor flaviense, António Pizarro, fez-me o convite (surpreendente) para participar nas III Jornadas Culturais de Vilas Boas, com o desafio de pintar numa tela aspectos que retratassem de alguma forma a aldeia.

Do resultado daquelas horas de trabalho ininterrupto e em perfeita comunhão com a Natureza (mais ou menos humanizada) num pinhal com pinheiros (obviamente!), dois magníficos sobreiros, uma rola e um cão (sem falar no mosquedo ... ) por companhia resultaram a "obra" em si e o prazer infinito de transpor emoções para a tela.

E se estas e aquele ficam para mim como a maior recompensa que poderia ter, a obra é a que se segue e tem (para mim) a seguinte leitura:


Com o título de "O Homem, construtor de paisagens", representa-se como figura central o elemento mais importante da aldeia (das aldeias que sustentam as cidades ou, se quiserem, dos "ratos" que parem constantemente "montanhas", se é que me entendem) - o Homem.

O mesmo que com a sua acção modela, renova, cria, gere, semeia, colhe, destrói e reconstrói, mexe, mede, planeia, decide (...) e usa instrumentos variados (inventados por si) para o conseguir. Como acessórios ficam as cores (os amarelos dourados e os verdes da aldeia - testemunho do início e do fim dos ciclos, do sucesso e das dificuldades em o conseguir - o azul do céu nas vestes bem como o vermelho do sangue e do esforço) e os círculos centrados na figura humana (que partem e chegam sempre a ela) - simbolo do movimento perpétuo que os séculos vêem os homens elaborar, em esforço continuado.

Pois, a obra existe. Está em exposição na Associação. Não é a melhor nem a mais vistosa, nem a mais perfeita. É A MINHA. Foi a primeira que pintei ao vivo e significa muito para mim, que sou o mais recente amigo de Vilas Boas.

Para o ano que vem, só se não puder é que não estarei lá a "descarregar" sentidos e "carregar" as energias mais positivas que puder.

Bom, ficam imagens que recolhi de outras obras (as minhas favoritas)/momentos e um agradecimento especial ao Pizarro, que faz o favor de ser meu amigo.

1. Exposição muito concorrida

2. Exposição

3. Exposição
(Pintor António Pizarro em destaque)


4. Exposição
(Pintor Nuno Duque assina obra do seu filho de 3 anos, participante mais novo)


5. 1º classificado
(obra de Mário Lino)


6. 2º Classificado
(obra de Nuno Duque)


7. 3º Classificado
(obra de Alfredo Cabeleira)


8. Menções Honrosas
(perdoem-me o facto de não saber o nome dos premiados)


9. Outro dos meus favoritos
(de quem não sei o nome do autor, igualmente)

2 comentários:

AnaMiguel disse...

Gostei muito da tua criação "O H,omem construtor de paisagens"... :D beijinho e continua!

Anónimo disse...

obrigado anita.
bjinho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

OS 7 MAIS LIDOS