quarta-feira, 29 de setembro de 2010

CAMPINO

-

Gira, gira Catavento
Senão meus olhos estacionam.
Traz-me a brisa das auroras
Vem com os sons que não me enganam. (*)




-
(*) Catavento, poesia de Lucas Tenório in revista.agulha
-

2 comentários:

Sara disse...

Por falar em metáforas, esta dos "olhos que estacionam" tem muito potencial interpretativo :)
E digno de escrutínio é também um catavento campino em plena cidade de Chaves. Bem curioso!

Um abraço também para aí.

Fernando Reis disse...

Eh, eh, eh ... concordo totalmente com o potencial metafórico do estacionamento ou não dos "olhos", essa coisa que dizem ser espelho de almas e portal para o interior ...

Quanto ao catavento, de facto é uma originalidade flaviense e um dia destes vou saber se também tem "história", que é sempre o que faz dos objectos ... únicos.

Abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

OS 7 MAIS LIDOS