terça-feira, 7 de dezembro de 2010

CHUVA

-


Pombo-comum (Columba livia GMELIN)


Chuva, caindo tão mansa,
Na paisagem do momento,
Trazes mais esta lembrança
De profundo isolamento.

Chuva, caindo em silêncio
Na tarde, sem claridade...
A meu sonhar d'hoje, vence-o
Uma infinita saudade.

Chuva, caindo tão mansa,
Em branda serenidade.
Hoje minh'alma descansa.
— Que perfeita intimidade!...


Francisco Bugalho, in "Paisagem" cit. in O Citador

-

3 comentários:

João Menéres disse...

Coitadito, todo encolhido...

Linda captação !

Um abraço.

Lis disse...

Hummm blog novinho, muitas novidades por aqui.
Isso que dá demorar voltar ao ´sitio do amigo! nem convida pro coquetel de reabertura rss
Fernando, está bonito ! estou aqui um tempinho apreciando.
É isso , bom iniciar o ano de roupagem nova.
E o pombo está com frio, Ô terra gelada hem? pobres aves, nao tem como se esconder!
Já me preparo pra veranear fora do Rio, o sol tem brilhado demais e o calor aqui fica insuportável rs promete um verão abrasador.
abraços abraços

Fernando Reis disse...

João: também achei ...é o que dá ter uma máquina à mão mesmo quando chove ... (e uma janela com parapeito, perfeito para os pombos ...).

Abraço.

LIS: roo-me de inveja dessa "inversão" de climas. Já sinto falta do calorzinho da manhã. Blogue novo? Renovado. Ainda não completamente "ao serviço" (sem nunca deixar de passar uma vista de olhos pelos amigos, sempre que posso, ...) mas quase, quase ...

BOM VERANEIO (grrrrrr) rsrsrs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

OS 7 MAIS LIDOS